Visita de atelier Alberto Carneiro


The Poet Paul Valéry wrote of visiting Degas’ studio, noting that “the labour of the artist is of a very old-fashioned kind; the artist himself a survival, a craftsman or artisan of a disappearing species, working in his own room, following his own homemade empirical methods.”

"Eu e a arte não sabemos ao certo quem somos
mas temos a certeza de sermos um do outro
e isto é tudo de que precisamos para a vida."

Alberto Carneiro

“a minha formação, as minhas convicções estão ligadas a todo o mundo da minha infância […] tive que inventar quase tudo de que precisava; […] a partir dos materiais da terra, construir o mundo nela, compreendê-la ludicamente por dentro e estruturar, assim, um esquema corporal que foi sendo, cada vez mais, a imagem das coisas da natureza”.
O início do ano 2012 começou para o Colectivo de Curadores com a visita de atelier de Alberto Carneiro. Fomos recebidos com generosidade na sua casa-atelier. A nossa conversa começou com um relato do artista sobre o seu trabalho de santeiro quando em novo trabalhou como artesão aprendendo a trabalhar com a madeira, com a natureza, e os meios técnologicos que estavam disponiveis. Essa relação com a natureza, essa compreensão da origem da arte nela, tornaram-se estruturantes da obra de Alberto Carneiro ao longo da sua vida. Uma estatua herdada de seu pai é o unico santo que conserva desta fase da sua vida, uma Nossa Senhora sem mãos, de dimensão pequena com toda a sua história de infancia escrita na madeira. Só podemos imaginar a quantidade produzida pelo artista nessa altura: ele disse-nos que “não sei quantos fiz”, que nunca os contou.
(….)
A conversa tomou conta da tarde, visitamos o atelier no fundo do jardim, lugar onde tinha armazenado as obras para a exposição de Serralves, o que nos permitiu um sneak preview de algumas das obras presentes na retrospectiva em Serralves; o atelier propriamente dito é um espaço de produção mas também de armazenamento. Tem dois pisos, sendo que no piso de baixo existe uma mesa larga com papeis, recortes e escritos que focaram a nossa atenção…(..) É aqui também que encontramos a pequena santa em madeira, da qual o artista falou. O espaço de trabalho de Carneiro parece ser não só uma oficina de trabalho, bem como o lugar (certo) para algumas das suas peças.

  • Data: Janeiro de 2012
  • Local: Trofa
Top